A arte está em nós

A arte está em nós

A arte está em nós: faz parte do nosso ser e do modo como cada um melhor se sente para se fazer exprimir.

Acredito que, mesmo quem diga não apreciar arte, acaba por admirá-la, ao identificar-se com determinada música, ao apreciar determinado filme ou espetáculo, ao ouvir determinadas palavras. Podemos nem todos saber como nos exprimir, mas sabemos avaliar o que melhor descreve o que sentimos ou o que gostamos.

Gosto de arte: gosto de a criar e de a admirar. Gosto de ler e de escrever. Gosto de ver filmes, ouvir música, ir a teatro e outros espetáculos. Gosto do Circo, de ver os malabaristas e os contorcionistas. Gosto de arte urbana e admiro a qualidade e perfeição que esta consegue adquirir. Gosto de tatuagens: das minhas e de apreciar as dos outros. Gosto de pintura e de ilustrações, apesar de não saber pintar. Gosto de ver dançar, de sentir a emoção que nos é transmitida. Gosto de pole dance. Gosto de fotografia, de observar momentos que ficaram parados no tempo.

É incrível como tão pouco nos pode dizer tanto, como um traço com uma caneta nos revela um estado de espírito ou como a dança nos conta histórias…e é com essas histórias que nos identificamos, é com o modo como nos contam essas histórias que nos identificamos. É, então, através da arte que nos identificamos com sentimentos, emoções e sensações exprimidas por terceiros, quanto mais não seja, através da arte do dom da palavra…mas fascinante mesmo é o dom da expressão sem palavras.

T

LivrosEscreverFilmes e fotografiaAcrobatas Tatuagens Arte urbanaAlfred BashaPole Dance

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.